fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
preço placas solares e o aumento da conta de luz, o que tem em comum?

Blog

3 de julho de 2018

O que o preço das placas solares têm a ver com o aumento na conta de luz?

preço das placas solares

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou, no mês de maio de 2018, o aumento de 18,53% no valor da conta de luz dos consumidores mineiros. Desde os últimos dias deste mesmo mês, a nova tarifa entrou em vigor e deve ser sentida no bolso ainda nos próximos meses do ano. Bem diferente do preço das placas solares, que tem maior custo benefício.

A Cemig, responsável pela cobrança no estado de Minas Gerais, atende a mais de 8 milhões de localidades em 774 cidades mineiras. Nas indústrias, nos centros comerciais e nas grandes empresas a taxa de aumento é mais alta ainda, chegando a 35,5% em média.

Nas contas que serão pagas em julho o consumidor já deve perceber o aumento, isso porque o ciclo de leitura pode ser diferente em cada casa, empresa ou indústria. Essa revisão que aumenta consideravelmente as contas de luz é feita a cada 5 anos, além dela, ainda existe o ajuste que é aplicado anualmente com base na inflação.

Não dá mais para negar que o aumento na conta de luz afeta diretamente no bolso do consumidor. No mesmo ritmo das altas, o preço das placas solares fica mais acessível e o produto é procurado por quem quer conter os gastos, principalmente, pensando na tendência dessas tarifas, que é de só aumentarem.

 

Como é feita a revisão de tarifas da Aneel?

Na revisão da Aneel em conjunto com a concessionária que oferece o serviço no Estado — no caso de Minas Gerais, a Cemig — são considerados fatores relacionados ao custo e a compra de energia e também da transmissão, além de outras questões ligadas ao setor energético brasileiro como um todo.

Todo o valor arrecada desses aumentos devem ser utilizados pelas concessionárias para a compra de energia, encargos federais e transporte. Desde 2008 não se tem um aumento tão grande no valor das contas, que inicialmente vão girar em torno dos 18%, mas podem chegar a um percentual de 25%.

Outro fator que influencia esse aumento, além dele acontecer a cada 5 anos, é a redução dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas, o que também causa o aumento nas taxas como as bandeiras que vão da verde a vermelha 2, passando pela amarela e vermelha 1.

O aumento do preço da energia e a baixa dos reservatórios indicam a cor e nível da bandeira. Por isso, é comum que com a baixa da água e a previsão de poucas chuvas nas áreas onde estão instaladas as hidrelétricas brasileiras, a bandeira vermelha 2 seja acionada.

Junto com a bandeira vermelha 2 vem uma cobrança de mais 5 reais a cada 100 Kwh gastos de energia elétrica. Parece pouco falando assim, porém, junto com os aumentos autorizados pela a Aneel, essa bandeira deve ser mais sentida no bolso dos consumidores ainda em 2018.

Quem é o consumidor consciente?

A ideia das bandeiras é conscientizar os consumidores quanto ao uso excessivo de energia elétrica, e também indica a falta de água nos reservatórios, ou seja, é preciso economizar energia para não ser necessário ativar outros meios como as termelétricas, que causam mais gasto e outros aumentos nas contas.

Uma alternativa para não precisar lidar com essas altas nas contas de luz, das quais nem sempre o consumidor está preparado, é a energia solar. Isso porque as hidrelétricas dependem das chuvas, que não são controláveis, mas, por sua vez, interferem diretamente no uso da energia produzida por elas.

Com a energia solar é possível ao mesmo tempo proteger a natureza e produzir uma energia limpa e mais barata. Isso porque o preço das placas solares vem caindo a cada ano com os incentivos do governo e com o maior acesso dos consumidores a esse produto.

Por que pesquisar o preço das placas solares?

O Brasil é um país com alta incidência solar e isso atrai cada vez mais pessoas que querem gerar sua própria energia. Um sistema de energia fotovoltaica tem um custo de investimento inicial que pode ser visto como um custo alto, porém, se pensarmos no custo benefício, a duração média de 25 anos, faz com que o preço das placas solares sejam vantajosos.

Medidor de energia

Você consegue pagar um bom preço nas placas solares com cerca de 4 a 6 anos de instalação. A partir daí, com um mínimo de manutenção, toda a energia gerada por você será lucro, ou seja, um alívio para o seu bolso. Se considerarmos o tempo estimado de duração das placas, que pode ultrapassar a média de 25 e chegar a 30 anos, o tempo de economia ultrapassa os 15 anos.

Para que você produza eletricidade e não dependa dos fornecedores é preciso ter uma bateria para armazenar a energia que será utilizada à noite ou em dias com pouco sol. Estudos para diminuir o custo desse material de apoio estão sendo desenvolvidos, e logo teremos mais novidades que vão mostrar mais e mais vantagens no preço das placas solares em relação ao da conta de luz.

Quer saber como o preço das placas solares podem afetar no seu bolso de forma positiva? Faça as contas em nosso simulador!