fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
Placas solares: por que as instalar nos próximos 5 anos?

Blog

18 de maio de 2018

Placas solares: por que instalar nos próximos 5 anos?

Há dois fatores que fazem parte da realidade quando o assunto é o consumo de energia elétrica, um deles é justamente o aumento desse consumo, o outro é consequência dele: o aumento no preço pago por ele. E o que as placas solares têm a ver com isso?

Bom, encontramos ainda um terceiro argumento: número de pessoas que optam pelas placas solares, principalmente em busca de um equilíbrio nos dois anteriores.

As placas solares podem influenciar, na sua casa ou na sua empresa, os efeitos das projeções de aumento da energia elétrica para os próximos 5 anos, principalmente, pelo fato de reduzirem os custos com a conta de luz.

Tomando por base as projeções de anos anteriores, a autoprodução está em crescimento e tende a crescer uma média de 6,6 % ao ano, chegando em 2020 ao equivalente a 10% do consumo de energia elétrica do país. Isso porque nos últimos 2 anos, o que mais vemos são notícias de aumento de tarifas — cada vez maiores —, fazendo com que as pessoas busquem por outros modos de reduzir esses gastos.

Dessa forma, o uso das placas solares é uma opção para repensar a forma de ver e de utilizar a energia elétrica. Essa mudança de hábito é vantajosa não apenas para o bolso do consumidor, mas também para a natureza que com o aumento do consumo passa a sofrer mais as consequências das produções tradicionais (hidrelétricas e termelétricas).

Sabendo disso, fique por dentro das projeções de aumento da energia elétrica para os próximos 5 anos e descubra porque vale a pena investir na instalação de placas solares em sua residência ou empresa.

Como a Aneel define a tarifa de energia?

A Aneel, é a agência nacional de energia elétrica, sendo assim, o órgão responsável pelos serviços de energia elétrica no Brasil. É ela quem regula os aumentos na conta e os cálculos de bandeiras, dentro da necessidade de aumentar ou diminuir a geração de acordo com a demanda da população.

Desde 2015 a cobrança funciona pelo Sistema de bandeiras tarifárias. As famosas bandeiras verde, amarela e vermelha, essa última em nível 1 ou nível 2. Quanto mais complexa for a produção de energia naquele período maior o nível da bandeira e, consequentemente, maior o valor que será cobrado.

O que aconteceu em 2017 e nos anos anteriores também tende a influenciar na tarifa dos próximos anos, assim a falta de chuva e as revisões tarifárias tendem a aumentar o valor da conta. Em Minas Gerais, por exemplo, o reajuste no valor cobrado pode ultrapassar 20% ainda no primeiro semestre de 2018.

Quais as projeções de aumento da energia elétrica para os próximos 5 anos?

Levando em consideração o que foi abordado até aqui, entendemos que as projeções não são muito positivas, pois a demanda por energia elétrica tende a aumentar e os custos para adquiri-la no modo tradicional acompanham esse aumento.

A maioria da população consome abaixo dos 500 kWh, mesmo assim, isso não impede que os aumentos da energia elétrica afetem de maneira expressiva, podendo chegar a 10% em cada um dos próximos anos.

Só em 2018, a Aneel já aprovou ajustes em 13 distribuidoras espalhadas pelo Brasil, com impactos nas contas residenciais entre 5% e 25%. Para as indústrias e outros consumidores de alta tensão, o aumento tende a ser maior ainda, chegando a quase 35%.

Outra causa desses impactos altos nas tarifas são as más gestões feitas no passado. Assim, reajustes com grande impacto acabam sendo necessários para que não haja prejuízos maiores para as distribuidoras de energia. Por fim, o maior atingido é o consumidor que precisa pagar um preço alto por essas falhas.

Os índices de aumento são a cada ano mais assustadores e superam aqueles previstos pelo IPCA (Índice de preços ao consumidor amplo). Isso porque a falta de chuva acaba gerando a necessidade do uso das usinas térmicas, que gastam muito mais, financeiramente, além de prejudicarem mais a natureza com a produção de gases tóxicos.

Por que investir em placas solares nos próximos 5 anos?

Concomitante com as projeções do aumento de energia elétrica, surgem as projeções em relação ao uso de geração de energia por meio de sistemas capazes de transformar a energia solar em elétrica.

Dessa forma, as placas solares são um grande aliado do consumidor que tem pela frente um possível aumento das tarifas, pois o custo-benefício oferecido por elas se torna cada vez maior quando pensamos nas projeções de aumento da energia elétrica.

A tendência é o aumento dos cerca de 26 mil consumidores com o sistemas de placas solares fotovoltaicas em casa ou em empresas para 800.000 até 2024. Neste caso, o impacto nas tarifas das contas dessas pessoas é positivo, com reduções de até 95%.

Além disso, a energia não consumida pode ser revertida para a empresa responsável pela energia elétrica do estado e redistribuída para outras residências, diminuindo também o uso das hidrelétricas.

Como vimos, a projeção para a energia elétrica tradicional, produzida nas hidrelétricas e em casos de urgência nas termelétricas, é negativa para o bolso do consumidor.

A tendência é a de que os gastos das empresas responsáveis pela produção cresça com cada estiagem e com as revisões tarifárias que envolvem impostos e inflação. Em contrapartida, as placas solares aparecem como uma opção para o consumidor que quer economizar e não sofrer as consequências diretas desses aumentos.

Para saber como as placas solares podem reduzir a sua conta de luz, conheça o nosso simulador e descubra as vantagens do sistema de energia fotovoltaica para o seu bolso!

Medidor de energia