fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
Tarifa branca 2018: tire suas dúvidas - Terra & Sol Energias Sustentáveis

Blog

15 de dezembro de 2017

Tarifa branca 2018: tire suas dúvidas

A tarifa branca é a nova forma de calcular o consumo de energia elétrica em sua residência ou pequenos comércios. Ela aponta aos consumidores a alteração do valor da energia de acordo com o dia e o horário do consumo.

Conforme a Resolução Normativa nº 733/2016 divulgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a partir de janeiro de 2018, a tarifa branca passa a ser regulamentada.

Preparamos este post, para que você fique ciente dos seus direitos como consumidor e esclareça suas dúvidas sobre o assunto. Acompanhe!

O que é exatamente a tarifa branca?

Ela busca oferecer aos consumidores do grupo B, ou seja, o grupo que utiliza baixa tensão, a opção de pagar pelos custos de acordo com as horas e dias de maior consumo.

A tarifa branca oscila entre três períodos diferentes: ponta (19h às 21h) , intermediário (18h e 22h) e fora de ponta (todos os outros horários). No intermediário e na ponta, o custo da energia elétrica é maior. Fora de ponta, o custo é menor. Nos dias úteis os valores são mais caros, já nos feriados e fins de semana, o valor é mais barato. Todos os horários e dias são homologados pela ANEEL.

 

Quais são as vantagens da tarifa branca?

A tarifa branca vai proporcionar benefícios para aqueles que consumirem durante o período fora de ponta. Se você consegue centralizar o uso de energia elétrica neste horário vale a pena optar por ela.

Com a tarifa branca, além de conseguir reduzir seus custos, é possível otimizar a uso das redes, pois a energia elétrica possui horários intensos de utilização e outros praticamente inutilizados. A rede é mensurada com intuito de atingir os períodos de ponta, o aumento de consumo nesses horários provoca a expansão da capacidade instalada o que não acontece nos períodos fora da ponta.

Antes você só tinha a opção da tarifa convencional, que possui um valor único de R$/kWh, contabilizado pela energia consumida independente do horário ou do dia.  Agora com a tarifa branca, você  pode optar por consumir menos energia elétrica em períodos com capacidade ociosa e, assim, economizar na conta de luz.  

Como saber se devo ou não optar pela tarifa branca?

Para saber se deve ou não optar pela nova tarifa, é importante identificar seu perfil como consumidor. Se você consome energia elétrica em horários fora de ponta e não precisa utilizar nos horários de ponta, a tarifa branca é uma ótima opção. Lembre-se que finais de semana e feriados nacionais, qualquer hora do dia é considerada fora de ponta.

Por exemplo, uma casa com três universitários, que ficam em casa de segunda a sexta, durante o dia fazendo trabalhos nos notebooks. No período entre 18h a 23h eles saem de casa e vão para faculdade, ou seja, não utilizam energia elétrica. Neste caso, os universitários deveriam optar pela tarifa branca, pois nos horários fora de ponta eles estão consumindo e no períodos de ponta eles não estão em casa.

Se no caso, os horários de consumo na sua residência forem, principalmente, entre 19h e 21h e não houver possibilidade de mudar o período de ponta para os horários fora de ponta, não é aconselhável fazer a tranferência de tarifa convencional para tarifa branca.

Quem escolhe a tarifa branca, deve ter disciplina para gerir seu consumo. O horário que você usa energia elétrica interfere diretamente no valor da sua conta de luz. Se você não conseguir evitar o consumo nos horários (18h às 22h) e dias (segunda à sexta) de ponta, a adesão da nova tarifa pode acarretar em uma conta de luz mais cara.

Como será o processo de mudança da tarifa convencional para tarifa branca?

De acordo com a Resolução Normativa, a partir de 2018, o consumidor de baixa tensão poderá solicitar a tarifa branca. A adesão será opcional e após o pedido feito na distribuidora, o prazo para instalação é de até 30 dias.

Se o consumidor não se adaptar a nova tarifa, ele pode pedir para voltar com a tarifa convencional a qualquer momento. O prazo para o retorno também é de 30 dias. Entretanto, se optar por voltar para a tarifa branca, sua solicitação terá o prazo de até 180 dias para instalação.

A tarifa branca pode ser selecionada para os titulares de baixa tensão. Mas, não é válida para iluminação pública ou outras que utilizam um sistema de pré-pagamento. Confira como será o cronograma:

  • Janeiro de 2018 de imediato para novas ligações com média anual de consumo superior a 500 kW/h por mês;
  • Janeiro de 2019 — para imóveis que consomem em média por ano o superior a 250 kW/h;
  • Janeiro de 2020 – para todos as unidades consumidoras.

 

Todos os custos referentes ao medidor e à instalação são pagos pela distribuidora. Outras alterações no padrão, como funcionalidades adicionais, são de responsabilidade do consumidor em arcar com a diferença.

Se eu optar pela tarifa branca não vou precisar de instalar um sistema fotovoltaico?

Não. Uma coisa não elimina a outra. O consumo de energia elétrica vai continuar contabilizando na sua conta normalmente. A diferença será nos horários e dias, pois o intuito da nova tarifa é diminuir o consumo excessivo no período de ponta.

O sistema  fotovoltaico vai te ajudar a economizar até 95% na conta de luz, tanto na tarifa convencional, quanto na  tarifa branca. Além disso, a energia solar é uma fonte renovável e limpa, ou seja, não causa impactos ao meio ambiente. 

As contas de luz de tarifa branca virão com detalhes sobre os valores de consumo de acordo com os horários.

Esclareceu suas dúvidas sobre a tarifa branca? Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe a Terra & Sol no Facebook e Instagram.