fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
fix bar
Energia solar: conheça as usinas em Minas Gerais

Blog

18 de junho de 2018

Conheça as usinas de energia solar em Minas Gerais

energia solar

O clima de país tropical do Brasil já é uma grande vantagem para os investimentos em sistemas de energia solar. Porém, pelo território imenso que temos, algumas regiões acabam se tornando mais propícias do que outras quanto à instalação de placas solares. É nessa perspectiva que Minas Gerais tem alta adesão do uso desses sistemas.

Não é atoa que o estado foi um dos pioneiros na retirada de impostos sobre o produto e também na criação de usinas solares. Seja nos telhados das casas e empresas, seja em grandes áreas rurais, o que vemos é a expansão do uso da energia solar em Minas Gerais.

Quanto ao fator climático, o estado se destaca por contar com o sol ano inteiro, por isso, chamou a atenção de multinacionais como a espanhola Solatio, que investiu bilhões na implantação de usinas no norte e noroeste de Minas. No total serão 650 megawatts de potência em apenas 4 cidades e o objetivo é atingir a marca de 1,5 milhão de MWH por ano.

Quer saber mais? Continue a leitura e saiba qual é o investimento em usinas de energia solar no estado de Minas Gerais!

Minas Gerais em destaque na energia solar

Desde 2012, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) regulamentou a geração da própria energia por meio de painéis solares. Chamada de microgeração de energia, no Brasil as instalações estão a todo vapor e cerca de 20% delas estão concentradas em Minas Gerais.

Além dos fatores climáticos e da não cobrança do imposto duplo nos serviços e produtos de energia solar, o Estado, desde janeiro de 2018, alterou a Lei do Fundo de Fomento e Desenvolvimento Socioeconômico. O intuito da mudança é permitir o financiamento na implantação de sistemas fotovoltaicos em cooperativas e pequenas empresas.

Além disso, a lei quer atrair indústrias que produzem esse tipo de equipamento, colaborando com a participação do estado na redefinição da produção de energia brasileira. Isso porque, o país ainda está atrasado em relação a outros lugares que, por sua vez, possuem menores potenciais para o investimento em energia solar.

A primeira usina de armazenamento de energia solar

Com investimento de cerca de 22 milhões de reais, a primeira usina fotovoltaica de armazenamento de energia brasileira foi inaugurada em 2018. Situada na cidade de Uberlândia, o sistema de armazenamento é de 1 MW e foi possível graças a parceria entre a Cemig (Companhia Elétrica de Minas Gerais) e o Grupo Algar (Alsol Energias Renováveis).

Com o apoio da Aneel, esse projeto tem o objetivo de utilizar produtos nacionais na solução quanto a reutilização de baterias e inversores fotovoltaicos. Para isso, juntos, Cemig e Alsol deverão estudar a aplicação desses sistemas em relação ao que é distribuído de energia. Enfim, o projeto visa o armazenamento para suprir necessidades quando não há sol.

Entre os muitos benefícios advindos desse projeto, é válido destacar o menor impacto na natureza em relação aos meios tradicionais de produção de energia. Além do mais, com a usina solar é possível alimentar e transformar energia em horários de pico e ainda melhorar a qualidade e estabilidade da energia.

A nova usina de energia solar está conectada com a rede da Cemig e produzindo desde sua inauguração. O armazenamento, apesar de em pequena escala, também já é possível. Espera-se que até o final de 2018 as baterias implantadas no sistema funcione com 100% de seu potencial.

medidor
medidor

O pioneirismo em energia solar dos mineiros

Em 2017, na cidade de Pirapora, foi inaugurada a maior usina fotovoltaica da América Latina. Com um terreno equivalente a 1500 campos de futebol, o empreendimento ainda não está funcionando por completo. Estima-se que operando com a capacidade total, a energia fornecida poderá abastecer cerca de 420 mil casas ao ano.

Os 800 hectares de campo está repleto de painéis instalados há 1,2 metros do chão que giram de acordo com a posição do sol. É importante destacar que os painéis se movem por meio da energia solar que também alimenta o dispositivo responsável pela movimentação deles.

Outro destaque é o investimento em produtos nacionais, o que permite o apoio de financiamentos altos para que o país cumpra o Acordo de Paris, em que se comprometeu em aumentar o uso de energia renovável em 45% até 2030, até então temos a marca de menos de 1%.

Para chegar na marca, o país está correndo atrás do prejuízo e em 2018 já deve chegar entre os 20 países que mais usam placas solares para produzir energia solar. Isso acontece pelo fato do Brasil ter um grande potencial quando o assunto é o sol.

A tendência é que a energia solar produzida por sistemas de placas solares fotovoltaicas ocupem cada vez mais os lares brasileiros, pois suas vantagens são enormes em relação aos meios não renováveis utilizados até os dias de hoje.

Gostou de saber como as usinas de energia solar em Minas Gerais estão colaborando com um Brasil melhor? Aproveite e descubra como as placas solares vão mudar o mundo!